quarta-feira, 28 de outubro de 2015

WARRIOR, UMA REVISTA QUE REVOLUCIONOU AS HQs!

Lançada no Reino Unido entre Março de 1982 e Janeiro de 1985, a WARRIOR, da Quality Communications, teve 26 edições que tentaram rivalizar com a poderosa 2000 AD, da Fleetway Publications. Editada por Dez Skinn, a WARRIOR foi um verdadeiro celeiro de novos talentos britânicos e ficou conhecida por publicar as lendárias séries Marvelman (mais tarde rebatizada nos EUA de Miracleman) e V for Vendetta (V de Vingança), ambas escritas por Alan Moore.

Seu diferencial de outras publicações da época foi garantir os direitos autorais de seus escritores e desenhistas, algo que começava a ser feito por algumas editoras independentes nos EUA. Assim, além do iniciante Moore, Skinn conseguiu reunir um elenco invejável de talentosos autores como Steve Moore, John Bolton, Steve Parkhouse, David Lloyd, Brian Bolland, Dave Gibbons, Garry Leach, Alan Davis, Steve Dillon, Grant Morrison e muitos outros. É dito que Alan Moore só foi convidado a escrever a revista Swamp Thing (Monstro do Pântano) porque o escritor (e então editor da DC Comics) lia a WARRIOR e ficou impressionado com a qualidade do texto dele. E também é muito provável que esta publicação tenha sido a porta de entrada para muitos quadrinhistas na chamada “Invasão Britânica” nos quadrinhos americanos dos anos 1980.

Mesmo tendo uma vida bastante breve, a WARRIOR foi uma verdadeira revolução nos quadrinhos e só foi cancelada por causa de uma sucessão de problemas de distribuição, sistema falho de assinatura e questões judiciais por causa do uso da palavra “Marvel” no nome “Marvelman”, que ganhou mais destaque com a publicação da edição extra MARVELMAN SPECIAL (1984). Esta revista, em especial, chamou a atenção da editora americana Marvel Comics, que não permitiria que uma revista de outra editora utilizasse a palavra “Marvel” em seu título... Essa questão é bastante complexa e já havia causado muitos problemas para a publicação do Capitão Marvel (Shazam!) na rival DC Comics...

A última aparição de Marvelman nas páginas da WARRIOR foi na edição # 21. Suas histórias continuariam sendo produzidas dentro dos padrões americanos pela Eclipse Comics para a polêmica revista Miracleman (o nome do personagem havia sido mudado em terreno americano para evitar quaisquer complicações com a Marvel...).

Seja como for, a WARRIOR acabou sendo sua principal vilã no que diz respeito ao seu cancelamento... Embora tenha descoberto tantos novos talentos, a revista deu oportunidade para que seus autores fossem irremediavelmente atraídos pelo rentável e sedutor mercado de quadrinhos americano! Assim, pouco a pouco, a maioria de escritores e desenhistas tinha sido contratada para criar novas séries nas terras do Tio Sam.

Uma pena, realmente!

Hoje é difícil imaginar uma revista periódica de antologia que consiga reunir histórias do nível de Marvelman e V for Vendetta em suas páginas numa mesma edição. Fico imaginando a reação dos leitores daquela época, completamente fascinados com histórias que eram diferentes de tudo o que tinha sido publicado até então...

Bloody lucky ones!!!


-- Leandro Luigi Del Manto







Warrior #1 (Março de 1982)
Capa de Steve Dillon




Warrior #2 (Abril de 1982)
Capa de Garry Leach



Warrior #3 (Julho de 1982)
Capa de Paul Neary



Warrior #4 (Agosto de 1982)
Capa de Steve Dillon



Warrior #5 (Setembro de 1982)
Capa de David Lloyd (?)



Warrior #6 (Outubro de 1982)
Capa de Steve Parkhouse



Warrior #7 (Novembro de 1982)
Capa de Mick Austin



Warrior #8 (Dezembro de 1982)
Capa de David Jackson



Warrior #9 (Janeiro de 1983)
Capa de Mick Austin




Warrior #10 (Abril-Maio de 1983)

Capa de Garry Leach




Warrior #11 (Julho de 1983)

Capa de David Lloyd





Warrior #12 (Agosto de 1983)
Capa de Steve Parkhouse





Warrior #13 (Setembro de 1983)
Capa de Garry Leach



Warrior #14 (Outubro de 1983)
Capa de Jim Baikie




Warrior #15 (Novembro de 1983)
Capa de Mick Austin





Warrior #16 (Dezembro de 1983)
Capa de Mick Austin





Warrior #17 (Março de 1984)
Capa de David Jackson



Warrior #18 (Abril de 1984)
Capa de Steve Parkhouse




Warrior #19 (Junho de 1984)
Capa de David Lloyd e Garry Leach




Warrior #20 (Julho de 1984)
Capa de Garry Leach




Warrior #21 (Agosto de 1984)
Capa de Mick Austin




Warrior #22 (Setembro de 1984)
Capa de Geoff Senior




Warrior #23 (Outubro de 1984)
Capa de Jim Baikie e Garry Leach




Warrior #24 (Novembro de 1984)
Capa de John Bolton





Warrior #25 (Dezembro de 1984)
Capa de Garry Leach




Warrior #26 (Dezembro de 1984)
Capa de Garry Leach




Marvelman Special #1 (1984)
Capa de Mick Austin

2 comentários:

  1. O interessante é que se agente for parar pra pensar, muita coisa que é produzida hoje em dia (apesar da evolução do mercado) não chega aos pés de publicações como a Warrior!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, Eduardo, e afirmo isso com muita neutralidade, acho que os quadrinhos vem sendo engolidos por uma sofisticação visual tão grande, que seus autores se esquecem daquilo que é mais importante: a história em si. Muitos artistas hoje em dia exercem seu dom de ilustrar de maneira incrível, mas suas histórias não dizem nada. Tudo bem, muitas vezes, tudo faz parte de uma estratégia editorial porque a revista faz parte de uma saga etc e tal, mas e o conteúdo?! Tudo muito fraco...

      Excluir